Miscelânea. Emaranhado de coisas, exemplos, variedades. Hoje o post está assim mesmo: caótico. É que… Vem cá. Vamos ser sinceros? Outubro se inicia em pleno fôlego de eleições e polêmicas (e todas as demais tendências que isso influi – do tipo: a alta expressiva do dólar), primavera, chuvas de menos em São Paulo, chuvas demais no Paraná, campanha de conscientização e prevenção do câncer de mama (Outubro rosa). É muita coisa legal (e outras chatas) para assimilar. ‘Carol, você está louca? O que isso tem a ver?’
Bem, a nós, consumidores de tantas informações e influências, cabe aproveitar isso tudo para absorver: incorporar às opiniões pessoais e nas variadas formas de expressão: moda, arte, decoração – por que não?
O que eu separei, hoje, foi ‘Anything But Ordinary’ (sim, aquela música da Avril!). Ou, sendo mais clara: ‘tudo, menos comum’. Mistura de referências define o nosso dia, mês, ano (?). Portanto, o que se segue, hoje, são inspirações de decorações que exploram fotos, flores, livros, estampas e cores em um mesmo cômodo. 
Mas… Eu não quero o caos!
Uma das maneiras mais fáceis de evitar a ‘desordem’, mesmo trabalhando com muitas referências, misturando estampas, é focar em um grupo de cores para a decoração inteira, incluindo objetos (ou paredes, ou móveis) brancos (ou neutros) para equilibrar os elementos.

Vocês já pensaram em decorar algum cômodo ou festa utilizando várias referências?
— “Para serem sensatas de verdade, as pessoas nem deveriam sair do próprio quarto” — citou. (Gail Carriger, trecho do livro ‘Alma?’, página 190)